Crise? 17 dicas para você melhorar o desempenho da sua empresa – parte 1

chess-424556_1920

Uma das principais características do povo brasileiro é a fé que ele tem em seu próprio País. Isso porque em tempos de crise, enquanto a taxa de desemprego chegou a 8,6%, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de empreendedores bate recorde após recorde. De 2004 a 2014, o total de novas empresas abertas por ano no Brasil quase quadruplicou: saltou 293%, de 503.396 para 1.979.257, de acordo com pesquisa da multinacional TransUnion, realizada a partir do Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJs) no País.

Apesar de o empreendedorismo ser uma tendência no Brasil, muitos empresários ficam receosos diante da possibilidade de investir em um novo negócio ou mesmo expandir sua atuação. A resposta para este questionamento é: avaliação. Quanto a empresa terá de vender por mês para bancar custos fixos e ainda obter lucro? Qual é o capital de giro necessário para tornar o plano realidade? Qual será o retorno financeiro?

Para responder estas e outras perguntas, além de evitar prejuízos para o seu negócio, seguem as primeiras dicas que vão te ajudar, Maria, a expandir ainda mais a sua empresa, seja em momento de crise ou não.

  1. Vender é prioridade

Independente da crise, uma das prioridades da sua estratégia para crescer deve ser vender cada vez mais. Por isso, procure alternativas para atrair novos clientes e fidelizar aqueles que já confiam no seu trabalho.

  1. Controle absoluto sobre despesas e receitas

Tenha um detalhado fluxo de caixa. É importante saber quais são as despesas e as receitas com precisão, pois com estas informações você, Maria, terá condições de tomar decisões vitais para o andamento do seu negócio futuramente, como assumir o risco de emprestar dinheiro para reinvestir na empresa.

  1. Atenção com custo fixo

Quanto mais alto o custo de manutenção do seu negócio, mais difícil será mantê-lo. Por isso, a partir do fluxo de caixa, identifique todos os custos fixos da sua empresa e procure cortar todas as despesas desnecessárias.

  1. Sugestões de funcionários para diminuir despesas

Não sabe como reduzir os custos da sua empresa? Pergunte aos colaboradores. Mais do que dar sugestões, a participação deles pode torná-los agentes de economia dentro da empresa.

  1. Controle de estoque

Produtos parados em estoque significam dinheiro parado dentro da empresa. Por isso, desenvolva um minucioso levantamento do que tem em estoque e promova ações para vende-los.

  1. Potencial de venda dos produtos e apostar nos que possuem maior índice de vendas e boa rentabilidade

Imagine que você tem uma loja de cosméticos com estoque de esmaltes com tecnologia degradê, que custa cerca de R$ 15. A ideia é dar visibilidade a ele, visto que, além de maior valor agregado (esmaltes custam, em média, R$ 3), a moda passa (e rápido).

  1. Negociar maior prazo de pagamento de fornecedores

A partir do acordo de maior prazo para pagamento, a empreendedora consegue vender produtos ou serviços e já levantar o valor devido aos fornecedores, evitando assim fazer dívidas.

  1. Evite contrair dívidas, em especial em moeda estrangeira

Dívidas devem ser muito bem estudadas antes de concretizadas. Isso porque você compromete parte do seu lucro antes mesmo de saber se irá conseguir atingi-lo ou não. A precaução deverá ser ainda maior se a dívida for contraída no exterior. A empreendedora que emprestou US$ 1.000 em 1 de outubro de 2014 (quando US$ 1 equivalia R$ 2,48), hoje deveria quase R$ 1.500 a mais, visto que a cotação da moeda bate R$ 3,92.

Fonte das dicas: Sebrae.

Facebook Comments
Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.