Crise? 17 dicas para você melhorar o desempenho da sua empresa – parte 2

Uma das principais características do povo brasileiro é a fé que ele tem em seu próprio País. Isso porque em tempos de crise, enquanto a taxa de desemprego chegou a 8,6%, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de empreendedores bate recorde após recorde. De 2004 a 2014, o total de novas empresas abertas por ano no Brasil quase quadruplicou: saltou 293%, de 503.396 para 1.979.257, de acordo com pesquisa da multinacional TransUnion, realizada a partir do Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJs) no País.

Apesar de o empreendedorismo ser uma tendência no Brasil, muitos empresários ficam receosos diante da possibilidade de investir em um novo negócio ou mesmo expandir sua atuação. A resposta para este questionamento é: avaliação. Quanto a empresa terá de vender por mês para bancar custos fixos e ainda obter lucro? Qual é o capital de giro necessário para tornar o plano realidade? Qual será o retorno financeiro?

Para responder estas e outras perguntas, além de evitar prejuízos para o seu negócio, segue a continuação das dicas que vão te ajudar, Maria, a expandir ainda mais a sua empresa, seja em momento de crise ou não. Perdeu a primeira parte? Confira aqui.

9. Dinamizar carteira de clientes

Por mais que o seu serviço seja excelente, infelizmente é comum perder clientes por motivos que independem da sua força de vontade. Se você tem uma indústria e fornece produtos para uma grande empresa, por exemplo, a queda de demanda irá afetar o seu desempenho. É o que acontece com as autopeças, que têm sofrido com a queda de produtividade da indústria automobilística. Então, procure dinamizar ao máximo a sua cartela de clientes, pois enquanto um é atingido pela crise, outros podem estar surfando a onda do crescimento.

10. Não fazer investimento sem antes obter informações e analisar o mercado

Você investiria em importação neste momento? De acordo com especialistas em câmbio, o dólar deve continuar no patamar de R$ 4 até 2019. Então, dependendo da saída do produto, o investimento pode valer a pena. Caso contrário, como matéria-prima, o ideal seria encontrar produtos nacionais que podem substituir sem comprometer a qualidade do seu produto final.

11. Evite demitir funcionários

Além de dispensar pessoas que têm grande conhecimento sobre o seu negócio, investir no treinamento de novos colaboradores até que eles correspondam com a produtividade que sua empresa precisa é caro e pode ser demorado. Por isso, demitir funcionários só se for extremamente necessário.

12. Ganhar produtividade e competitividade

Como atingir mais e melhores resultados? Crises trazem ótimas oportunidades para repensar o seu negócio e melhorar seu desempenho. Por isso, aproveite o momento para repensar seus processos e estratégias, para que o trabalho da sua empresa renda cada dia mais, com menos recursos e custos.

13. Manter informado sobre os desdobramentos da crise e antecipar-se a ela

Há setores que dificilmente passam por crise, pois oferecem produtos ou serviços essenciais para o consumidor. É o caso da energia elétrica, por exemplo. Ciente dos reajustes de tarifa, você pode minimizar prejuízos com medidas para economizar e não ser surpreendida por uma conta estratosférica.

14. Atenção à medidas de governo e como elas impactarão o negócio

Veja o caso da Tricae, maior loja virtual de artigos infantis do Brasil. Graças à alta do dólar, a empresa teve 96% de aumento de faturamento ao longo de 2015 em comparação com o ano anterior, visto que muitos consumidores que costumavam comprar artigos infantis em sites estrangeiros ou mesmo viajar para adquiri-los agora se voltaram ao mercado nacional. Então, fique atenta às decisões econômicas do governo para fazer as adaptações necessárias para o seu negócio.

15. Estar aberto a mudanças, seja de produtos, processos internos e mercados

Certa vez li uma matéria sobre um empreendedor que tinha uma fábrica de biquínis. Mas que, fora os meses de alta temporada, investia na produção de roupas fitness, que seguem o mesmo material de composição de biquínis. A partir deste exemplo, pense em como você pode, Maria, dinamizar o seu catálogo de produtos e serviços, mas sem que precise fazer novos investimentos.

16. Fique atento às novas oportunidades, que sempre surgem em momentos de crise

Se você tiver uma concessionária, já sabe que a venda de carros novos teve queda considerável, em comparação a 2013, quando a produção automobilística atingiu recordes. Mas enquanto a venda dos novos está em baixa, as de seminovos estão bombando. A partir deste exemplo, Maria, é possível perceber que o ditado “enquanto uns choram, outros vendem lenços” faz todo o sentido no atual cenário da economia brasileira. Por isso, identifique quais são as alternativas para dinamizar o seu negócio e aproveitar o momento de crise para investir em novos produtos ou serviços.

17. Melhorar conhecimento em gestão

De nada adianta seguir todas as dicas anteriores se você não se esforçar para administrar melhor seu negócio cada dia mais. Então invista em cursos (técnicos, a distância, online e etc) para aprender a lidar com as ferramentas disponíveis gratuitamente e que podem ajudar na rentabilidade do seu negócio.

Fonte das dicas: Sebrae.

Profile photo of Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.