Voa, Maria – Empreendedorismo Feminino

Empreendedorismo com causa: a trajetória de Andrea Giusti, do Procura-se Cachorro

Home  >>  Estrelas  >>  Empreendedorismo com causa: a trajetória de Andrea Giusti, do Procura-se Cachorro

Empreendedorismo com causa: a trajetória de Andrea Giusti, do Procura-se Cachorro

On Janeiro 13, 2016, Posted by , In Estrelas, With No Comments

Divulgação

Engana-se quem pensa que empreender trata-se apenas de ganhar dinheiro. Ao contrário. O grande segredo do sucesso é encontrar um negócio com o qual o empresário realmente se identifique (para ser mais claro, que tenha uma verdadeira paixão) e que ele possa contribuir significativamente com a qualidade de vida ou satisfação de clientes, fornecedores, amigos e até o meio onde ele está inserido.

O site Procura-se Cachorro, de Andrea Giusti, é um ótimo exemplo. Além de empreender, ela trabalha incansavelmente para ajudar pessoas que adoecem devido à perda do animal de estimação a encontrarem seus mascotes. Mais do que isso: Andrea trabalha ainda para conscientizar os donos, para que possam evitar que seus animais se percam. Confira a entrevista exclusiva que a criadora do Procura-se Cachorro concedeu, por e-mail, ao Voa, Maria!

Voa, Maria: Quem é a Andrea Giusti?

Andrea Giusti: tenho 31 anos, sou jornalista e protetora animal há pelo menos seis anos.

VM – Como e quando passou a ter envolvimento com a causa animal?

Andrea: Tenho contato desde criança porque minha avó sempre resgatou animal de rua, cuidou e colocou para adoção. Também sempre tive cachorro em casa.

VM – Como é o trabalho desenvolvido pelo Procura-se Cachorro? E como teve esta ideia?

Andrea: Em 2010 entrei para o Projeto SalvaCão, em São Paulo, e passei a cuidar das redes sociais. Com o tempo, percebi um aumento nos casos de desaparecimento. As famílias procuravam por informações na ONG, e por outro lado pessoas que acharam animais nas ruas queriam repassar para adoção. Até que um dia fui ser voluntária de passeio no Centro de Controle de Zoonoses e me deparei com centenas de cartazes na parede. Chorei lendo o desespero das pessoas que procuravam há anos e ali decidi que ia criar um ponto de encontro funcional.

O Procura-se é uma ferramenta inteligente e gratuita para todo o Brasil. A partir do sistema de mapas do Google, cruzamos as informações entre os usuários, principalmente geolocalização e características do cão, e apontamos as possibilidades do reencontro. Os pontos vermelhos são todos os perdidos, os azuis são os achados.

VM – Além da questão social, em que ajuda a encontrar cães, você tem uma loja. Conte um pouco mais sobre este lado empreendedor da iniciativa.

Andrea: No último 15 de novembro lançamos a BIKE ID, uma bicicleta itinerante que visa promover a identificação dos animais e a posse responsável. É importante tratar do assunto porque ninguém que perdeu seu pet imaginou que fosse acontecer. As pessoas precisam entender o desaparecimento é causado por um fator externo, mesmo que o cão seja obediente. A prevenção é responsabilidade do tutor. Além da loja móvel, teremos a venda pelo site.

VM – Qual é o impacto das vendas da loja na manutenção do projeto?

Andrea: Há três anos estamos presentes na busca dos animais desaparecidos em todo o Brasil, a ideia agora é entrar de fato na proteção para que o cão não se perca. Então além de oferecer o serviço para quem está passando por esta situação delicada, vamos conscientizar, mostrar a importância do cuidado e deixar os cães protegidos em casa.

VM – Os donos que procuram cães perdidos pagam para anunciar no site? Se sim, quanto?

Andrea: Não, o serviço é gratuito.

VM – Você tem outros negócios relacionados ou complementares ao Procura-se Cachorro? Quais?

Andrea: Negócios não, apenas a BIKE ID. Porém, em paralelo ao site temos projetos relacionados, como uma série em vídeo na TV UOL e boletins diários na rádio Sul America Transito (92.1fm).

VM – Como descreve a importância do empreendedorismo na sua vida?

Andrea: Empreender me fez amadurecer. Criei o site achando que ia salvar o mundo, queria ajudar aquelas pessoas desesperadas e tirar os animais das ruas. Não fiz planos, não projetei retornos e tudo cresceu repentinamente. Fiz grandes parcerias, a ferramenta passou a achar cães em todo o Brasil e tive que aprender tudo do começo. Frequentei palestras, encontros de startups, ouvi dicas de pessoas da área. Errei bastante, perdi dinheiro e nem assim desisti. As pessoas acreditavam no que eu estava fazendo e abandonei minha carreira quando soube que estava no caminho certo. Se o site chegou onde está, com certeza, é porque fiz com amor e dedicação.

VM – Quais conselhos daria para mulheres que pretendem seguir no mesmo ramo de negócio?

Andrea: Acho que é preciso sonhar com um pé na realidade. A ideia é muito bonita dentro da nossa cabeça, mas enquanto não funcionar (ou vender) ela não vale nada. Busque bons fornecedores para não perder tempo e dinheiro, procure se aperfeiçoar nas áreas do negócio que tiver menos afinidade e priorize um bom atendimento ao público ou clientes. Se você acredita no negócio e faz acontecer, as outras pessoas passam acreditar junto com você.

VM – E quais erros elas devem evitar?

Andrea: Ninguém consegue exercer todas as funções sozinha. Busque ajuda, contrate pessoas qualificadas se possível. Um erro clássico é improvisar nas redes sociais e não saber manter uma postura profissional diante de uma crítica, por exemplo.

Só inicie um trabalho mediante contrato assinado, os fornecedores costumam errar ou não entregar no prazo. Aí aquele acordo amigo acaba indo por água abaixo.

Não abra mão da vida social. Por mais difícil que esteja a rotina, tire um dia para cuidar de você mesma, passear e se distrair

VM – Tem alguma informação que não perguntei, mas que você gostaria de acrescentar? Fique à vontade!

Andrea: Mais de 1.800 animais já voltaram para casa graças ao sistema. É muito gratificante saber que mudei a vida daquelas famílias, os depoimentos são emocionantes e é isso que me motiva.

Quer ser a próxima estrela do site? Envie sua história e contatos para fala@voamaria.com.br.

Deixe uma resposta

Ir para a barra de ferramentas