Os segredos de Luzia Costa para criar uma grande rede de franquias

“A mulher empreendedora é capaz de é capaz de criar negócios e impactar todo o território em que está”, aposta Luzia Costa, que em 2013 criou a Sóbrancelhas e, em menos de três anos, já soma mais de 100 franqueados, distribuídos em 15 estados do Brasil.

Atingir este feito, no entanto, não foi tão simples quanto possa parecer. Antes da Sóbrancelhas, ela investiu em outros negócios e pagou caro por não ter conhecimento em gestão: teve até de voltar a morar com os pais.

Conheça a trajetória e as dicas desta empreendedora que, de aluna em aluna, criou uma das maiores franquias de estética do País.

Voa, Maria: De onde veio a paixão pelo segmento de beleza?

Luzia Costa: A minha paixão por beleza vem desde criança. Minha brincadeira predileta era fazer as unhas das minhas primas e vizinhas. Mais tarde, quando era mais velha, me arriscava na aplicação de máscaras naturais para melhorar a pele e no preparo de ceras para depilação. Foi assim que dei os primeiros passos na área de estética.

VM: Quais atividades profissionais já desenvolveu antes de tornar-se uma empreendedora?

Luzia: O primeiro foi um carrinho de lanches, que em pouco tempo transformou-se em uma lanchonete instalada na rodoviária da cidade. Embora o movimento fosse satisfatório, eu sempre pensava grande, queria ir além e investi na abertura de uma pizzaria. Mas por falta de gestão perdi o negócio. Foi só depois de amargar o retorno à casa dos pais que comecei a empreender novamente, desta vez, fabricando conservas e pirulitos.

Entre uma produção e outra, aproveitei para fazer cursos livres na área de estética. O primeiro deles de massagem, com duração de seis meses. Na terceira semana, eu já estava atendendo clientes sobre a mesa de casa. Não tinha dinheiro para comprar uma maca. Troquei o equipamento por serviço e fui adiante. Na verdade, decidi que instalaria uma barraca na Praia do Tenório, em Ubatuba, durante a temporada de verão. Dava plantão das 5h às 18h à beira mar e, à noite, atendia nos condomínios. Deu certo, juntei um dinheirinho e resolvi investir em cursos de especialização, entre eles, vários na área de sobrancelhas. Como eu era boa em depilação com linha egípcia e em design, as pessoas começaram a pedir ajuda, queriam aprender a dominar as técnicas como eu fazia.  De aluna em aluna, abri o Centro de Treinamento Luzia Costa, com aulas para no máximo três profissionais por turnos de duas horas. Com o sucesso da escolha, pensei: por que não abrir a minha própria rede de franquias especializada em sobrancelhas?

VM: Quando e por que decidiu fazer desta atividade o seu negócio?

Luzia: Foi a fama do Centro de Treinamento que levou a região a buscar profissionais entre meus alunos e, mais do que isso, uma franquia do ramo a pedir ajuda para capacitar a própria equipe. Assim tive a ideia de tornar a escola e a paixão pela área de estética em franquia.

 

VM: Quais os principais desafios e dificuldades (pessoais e profissionais) que teve de superar em sua trajetória?

Luzia: Os principais desafios que superei foi o financeiro, no âmbito pessoal. No profissional foi ter de se especializar todo tempo, trabalhando das 5h30 às 21h, fazer cursos em horários flexíveis para poder oferecer o melhor para os clientes.

 

VM: Investir em você mesma foi um ponto fundamental para o seu negócio? Por quê?

Luzia: Não só investir, mas acreditar também. Tive que ter a visão empreendedora e a qualificação dos serviços oferecidos na área de designer de sobrancelhas.

 

VM: Quais aspectos teve que aprimorar em você mesma para tornar-se uma empreendedora de sucesso? Como fez isso?

Luzia: Adquirir sabedoria na área de gestão. Usar dos erros do passado em negócios como aprendizado para não repetir no atual negócio.

 

VM: Dentro do processo de gestão de uma empresa, quais pontos você considera fundamentais na construção de um negócio de sucesso?

Luzia: Acho fundamenta ter sabedoria, um bom relacionamento, equipe bem treinada e estar presente o tempo todo no negócio.

 

VM: Que papel o bom atendimento representa para o sucesso do seu negócio?

Luzia: Bom atendimento é fundamental para o desenvolvimento de um negócio. A primeira coisa que o cliente observa é o atendimento. Marca muito se você é bem atendido ou não, sendo seu principal cartão de visita junto com a qualidade do que você oferece.

 

VM: Autoestima faz diferença para quem busca uma vida mais independente e feliz?

Luzia: Sim, uma pessoa que tem a autoestima mais elevada tende a ter mais disposição para se arrumar e para se sentir melhor, enxergando a vida com outros olhos.

 

VM: Nesse sentido (da autoestima), você consegue dimensionar o impacto do seu trabalho na vida de suas clientes?

Luzia: Sim, mexo mais com o olhar, parte principal do rosto, a beleza é vista através dos olhos, a sobrancelha é a moldura do rosto, por exemplo.

 

VM: Quais dicas você daria para as mulheres que estão iniciando no empreendedorismo?

Luzia: Que tenham força para enfrentar todos os obstáculos, acreditando que a mulher empreendedora é capaz de criar negócios e impactar todo o território em que está.

 

VM: É possível conciliar uma carreira exitosa e vida pessoal?

Luzia: Sim, é difícil porque muitas vezes a família toda está envolvida em um projeto, então o assunto acaba sendo o mesmo em casa. Por isso é importante procurar fazer passeios e atividades diferentes, para que os encontros familiares tenham outros assuntos interessantes para conversarem. É necessário ter momentos que você empreendedor tem que se desligar da vida profissional.

Quer ser a nossa próxima estrela? Escreva para fala@voamaria.com.br.

Facebook Comments
Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.