O que te impede de ir mais longe?

Por Vanessa Ribeiro

Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2014, nós, mulheres, representamos 51,4% da população brasileira. Sabia também que 52,2% dos empreendedores no Brasil são mulheres?

Só que ainda nos dias de hoje há uma enorme desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), as mulheres recebem, em média, o equivalente a 73,5% do salário dos homens. Isso quer dizer que  enquanto o homem ganha R$ 10.000 a mulher ganha R$ 7.350 para a mesma função.

Mais do que isso, as mulheres representam 56,9% das pessoas desempregadas no País. Isso acontece muito porque um dos critérios de demissão em época de corte é demitir mães que voltaram da licença-maternidade. As empresas imaginam que as mães de primeira viagem logo pensarão no segundo filho e, além disso, sabem que nos primeiros anos de vida da criança sempre surgem necessidades que obrigam a mãe se ausentar do trabalho por diversos motivos.

O fato é que o negócio próprio é uma alternativa às desigualdades do mercado de trabalho e também de conciliar carreira e maternidade. As mulheres buscam no empreendedorismo um trabalho com mais propósito e a possibilidade de ter flexibilidade de tempo para conciliar carreira e maternidade. Nós queremos ser donas da própria agenda e equilibrar trabalho e vida pessoal.

Os novos empreendedores são mulheres! O empreendedorismo feminino está tão em alta que em 19 de novembro de 2014 a ONU lançou o Dia Global do Empreendedorismo Feminino que visa estimular e incentivar o empreendedorismo feminino. E, melhor ainda, pesquisas mostram que Taxa de sobrevivência das empresas criadas pelas mulheres é maior do que as criadas por homens. Isso se deve à 3 principais fatores:

  • Capacitação – As mulheres estudam mais. Se preparam mais. Leem, buscam entender a fundo daquilo em que estão atuando.
  • Relacionamento – As mulheres são mais hábeis em construir vínculos em relacionamentos com fornecedores, clientes e equipes.
  • Qualidade – Nós somos mais cuidadosas e detalhistas. E estudos mostram que a mulher possui um grande diferencial que é o atendimento personalizado. Somos mais empáticas e empatia é se colocar no lugar do outro e entender as suas necessidades, o que garante um atendimento com mais qualidade.

Pesquisas mostram ainda que 75% das empreendedoras se sentem mais realizadas do que em suas antigas profissões. Porém nem tudo são rosas. A mesma pesquisa revela que 36% das empreendedoras ganham menos do que em suas antigas profissões. Você sabe porque isso acontece?  O que está te impedindo de alavancar os seus negócio?

Eu tenho observado as dificuldades das minhas coaches e seguidoras e listei abaixo as principais dificuldades que as mulheres enfrentam no dia a dia dos seus negócios.

  • Falta de visão: As mulheres veem o negócio como um negocinho. Acreditam que é só um quebra galho e que não terá grande futuro. Quando você não valoriza o real potencial do seu negócio e quando você não enxerga a transformação que você pode causar na vida dos seus clientes, você não empenha tanta energia e por este motivo não o vê crescer. É necessário fazer um plano de negócio, um design thinking e definir metas para os próximos anos.
  • Falta de tempo: A maternidade é um dos fatores que levam as mulheres a empreender, mas por outro lado a maternidade toma o tempo da mulher que se sente sozinha diante de tanta responsabilidade. É imprescindível ser organizada, porém não é suficiente. Ter clareza de onde quer chegar, definir metas e fazer um planejamento adequado são fundamentais. E vamos mais longe: a sua saúde física e mental também são imprescindíveis. Por isso, se você quer ser mais produtiva faça uma boa alimentação, pratique exercícios, medite e durma bem.
  • Não se sentir preparada ou capaz: Muitas vezes não nos sentimos prontas e não nos vemos um modelo a ser seguido pela nossa família, amigos e clientes. Será que você realmente não está pronta ou será que você está se autossabotando por causa das suas crenças limitantes? Analise isso e coloque-se em movimento. E se você realmente não estiver pronta, coloque-se em movimento para buscar a capacitação que te falta.

Estas também são as suas dificuldades? Deixe nos comentários o que te aflige nos negócios. O que te impete de ir mais longe? Eu vou adorar responder, pois o objetivo do Voa Maria é ajudarmos umas às outras!

 

 

Profile photo of Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.