Faturar R$ 1 mi com eventos? Roberta Lasnaux mostra que é possível

Formação universitária, projeto científico, fluência em inglês, intercâmbio. Ainda que a bagagem profissional de Roberta Lasnaux seja diferenciada no mercado, a publicitária paulistana de 29 anos tinha dificuldade de encontrar um emprego fixo.  A solução? Criar o seu próprio trabalho. E foi isso que a dona da Zull Comunicação, empresa de marketing promocional e eventos, fez.

A ideia de criar uma agência de comunicação nasceu ainda na faculdade, como trabalho de conclusão de curso (TCC). Mas o empreendedorismo a acompanhava de longa data, pois Roberta se descreve como uma pessoa que sempre abraçou as oportunidades que identificava para alcançar seus objetivos, como vender tortas. “Sou uma pessoa sonhadora. Sempre batalhei muito pelo que acreditei e acredito que persistência é tudo. Também acredito na liberdade”, pontua.

Faturamento

Para realizar o sonho de entrar na faculdade – compromisso que a família não podia assumir-, Roberta conseguiu uma bolsa de estudos de 50% pelo programa ProUni e tinha de andar quilômetros diariamente do trabalho para a faculdade e, assim, economizar para complementar a mensalidade do curso de Publicidade.

Mas como a jovem criou um negócio milionário praticamente do zero? Roberta conta que o segredo do sucesso é agilidade e também para o cliente como um parceiro. “É saber abrir preço e acordar de madrugada para ajudá-lo. É sair da sua casa às vezes para levar uma tomada para o evento. Comecei a empresa com pequenos projetos e cresci passo a passo”, revela.

Graças à tanta dedicação e parceria com os clientes, a Zull Comunicação fatura de R$ 1 milhão por ano e soma em sua carteira clientes como Libbs, Ambev, Honda, além de shoppings e Hospitais.

Ser dono do próprio negócio tem vantagens. Para Roberta, uma delas é criar os próprios projetos. “Não espero que os outros me dê uma oportunidade para ser bem sucedida, sempre as criei e isso faz com que eu me sinta livre. A outra vantagem é a liberdade de comandar minha vida até no sentido de tempo”, conta.

A publicitária ressalta, no entanto, uma desvantagem do seu negócio: o excesso de decisões. “Tudo é você. Não sei se considero isso negativo ou positivo. Outro ponto é a cultura do brasileiro ser de empregado, não de empregador. E o colaborador às vezes busca várias formas de te passar pra trás”, admite.

Dicas 

Outro fator importante no resultado de sucesso de Roberta é o controle financeiro. “Empresários de eventos perdem o controle de quanto gastaram e quanto tiveram de prejuízo no evento. Por isso, defendo que cada evento é um projeto.”

Por fim, a empresa deve ser, nos próximos anos, mais que uma empresa de eventos corporativos. “Tenho o sonho muito grande de ser reconhecida nacionalmente como pessoa que gera experiências. Por exemplo, uma pessoa física que sonha em jogar futebol no campo do Barcelona [na Espanha]. A Zull irá organizar toda esta experiência”, conclui Roberta.

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.