Empreendedora perdeu R$ 2 mi em incêndio e ensina a dar a volta por cima

O que você faria se, numa bela manhã de inverno, recebesse uma ligação dizendo que o seu negócio sofreu um incêndio? Foi este o drama de Aline Alves, que acordou com prejuízo de R$ 2 milhões, já que oito carros de luxo dos clientes de sua oficina mecânica foram perdidos na ocasião, assim como a estrutura do seu galpão.

A primeira reação foi o choque. Afinal, o que ela poderia fazer diante de tanta destruição? A segunda foi o choro, logo seguido na determinação de não desistir e reconstruir tudo o que ela tinha perdido.

As origens

Nascida em Guaianazes, em São Paulo, Aline é filha única, morou com seus pais até a adolescência e depois morou com o pai por três anos, até que se casou pela primeira vez. “Entrei de cavalo branco na igreja. [A união] Tinha tudo para dar certo, mas não deu”, acrescenta.

Aline é formada em Turismo, mas em grande parte da carreira profissional atuou como consultora de software. Depois de mais de 10 anos na área de tecnologia, ela começou a pensar em empreender. “Meu marido abriu uma oficina mecânica com um sócio. Tempos depois, ele me convidou para entrar no negócio. Nunca pensei oficina mecânica, mas para alegria de uns e desespero de outros, gostei do desafio.”

Depois de atritos com o sócio, Aline comprou a parte da sociedade do sócio do marido e transformou empresa em uma empresa familiar.

Incêndio 

“Você sabe o que aconteceu? Sua loja foi incendiada. Se prepara que foi bem grave”, alertou um vizinho de Aline, às 6 horas de 12 de junho de 2015.

Quando chegou ao local de trabalho, a empreendedora se deparou com um cenário de guerra. “Fiquei em estado de choque. Teto caindo, polícia na frente. Chorei, chorei, porque na época tinha certeza de que era um acidente”, revisita a empreendedora.

Contrariando todas as expectativas, já que ela não tinha seguro e teve de arcar todos os prejuízos do próprio bolso, Aline decidiu reconstruir seu negócio. “Reabri a Dashboard dois meses depois, com poucas ferramentas. Convoquei uma reunião com os funcionários. Disse que o recomeço era menor do que zero, mas que iria continuar”, conta. “A pessoa que fez isso tentou me destruir, mas ela não vai conseguir. Estou muito viva. O que tenho para prometer é isso aqui: teto desmoronando, mas não vou atrasar salário porque vocês têm os seus compromissos”, disse aos colaboradores na época.

Sem dinheiro, ela teve de renegociar a compra dos oito carros que estavam na oficina, a maioria de luxo. “Foram R$ 2 milhões de prejuízo, contando o tempo sem trabalhar, o pagamento de funcionários e a reconstrução da estrutura. Na verdade, se considerar os juros de financiamento e empréstimos, talvez o prejuízo chegue a R$ 3 mi”, admite a empreendedora.

Recomeço

Aline passava a metade do tempo na oficina e a outra metade comprando os materiais de construção. No entanto, o esforço valeu a pena. Além de virar mestre de obras, ela conseguiu reconstruir a oficina e este mês comemora o pagamento da última parcela dos carros financiados. “Ainda não tenho capital de giro na empresa, mas é só uma questão de tempo.”

A empreendedora conta que o segredo para se reconstruir seu negócio foi o compromisso com os clientes. Mesmo com a oficina destruída, ela recebia mais e mais demanda de trabalho. “Hoje [a entrevista foi feita em 11 de setembro] três dos carros que estão aqui são de clientes que tiveram os carros queimados. Eles entenderam que não foi culpa minha e que iam receber todo o prejuízo ocorrido na loja. Por isso, hoje minha única preocupação é que a loja está lotada estou tendo de reagendar atendimento para alguns meses a frente.”

Sobre o incêndio, aliás, cabe ressaltar que as câmeras de segurança mostraram que foi uma ocorrência criminosa, mas o suspeito não foi responsabilizado por falta de provas.

Próximos passos

Uma das mensagens que Aline gostaria de deixar é que “não tem como não dar certo”. “Problemas existem sempre. Empreender tem situações difíceis, como conflitos, lidar com pessoas”, aponta Aline, que sonha e expandir seu negócio e também passar de lições de vida para mais e mais pessoas. Para tanto, ela juntou sua história de superação a de outros quatro empresários e, em breve, deve lançar um livro sobre superação e sobre recuperação de empresas.

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.