Colunistas

Exportação aumenta faturamento de micro e pequenas empresas

Você já pensou em exportar? Pois saiba que o mercado externo pode ser uma excelente alternativa para o plano de crescimento de uma micro ou pequena empresa (MPE). De acordo com estudo divulgado pelo Sebrae, o número de pequenos negócios exportadores tem aumentado significativamente no país.

Para se ter uma ideia, em 2011, a participação das MPEs nas exportações era de 32,8%. Em 2016, esse número subiu para 38%. No total, são 8 mil empresas brasileiras de micro e pequeno porte que vendem para outros países – o recorde da série histórica.

Dados recentes do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) também mostram que as exportações aumentaram em 5,2% o faturamento de micro e pequenas empresas.

E o melhor: a tendência é de crescimento! Isso porque, hoje, há uma facilidade muito maior de acesso a compradores internacionais, principalmente pela expansão da internet e das redes sociais. Além disso, outros avanços, como o Simples Internacional, têm contribuído para esse aumento das exportações.

Ficou interessado? Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira as dicas que separei para você!

Vale a pena exportar para o Mercosul?

Com a economia dos países vizinhos crescendo, em 2017 as exportações do Brasil para o Mercosul aumentaram 23,6%. E para o micro e pequeno empresário que quer começar a exportar, o Mercosul apresenta algumas vantagens. Veja só:

Distância

Como os países do Mercosul estão geograficamente próximos, o produto chega rapidamente. Isso significa que a empresa pode manter seu fluxo de produção, sem precisar gastar mais com armazenagem ou se preocupar com o estoque de produtos sazonais ou perecíveis.

Impostos

Um dos objetivos da criação do Mercosul foi, exatamente, a redução de impostos nas relações comerciais entre os países membros.

O baixo imposto de importação resulta em transações mais econômicas e vantajosas para as micro e pequenas empresas.

Financiamento

Existem linhas de crédito especiais para o comércio entre países do Mercosul. Elas contam com taxas de juros menores e um maior tempo para pagamento.

Moeda

Quando se comercializa com países membros do Mercosul, as compras e vendas podem ser pagas pelo SML (Sistema de Pagamento em Moeda Local). Sendo assim, as transações não ficam à mercê das variações do dólar.

Dessa forma, as negociações passam a ser mais assertivas, já que as moedas locais oscilam muito menos do que a moeda norte americana.

Como se preparar para exportar para o Mercosul?

Algumas redes e instituições apoiam o micro e pequeno empreendedor que quer começar a exportar, inclusive com material específico e cursos voltados para a área.

Além disso, o governo federal tem ferramentas e programas voltados para a exportação, como o Portal Único de Comércio Exterior, que reduz custos e prazos e aumenta, assim, a competitividade dos produtos brasileiros no exterior.

Mas também é muito importante que esse micro e pequeno empresário esteja apto para negociar em espanhol, a língua oficial de todos os países membros do Mercosul com exceção do Brasil.

O ideal é matricular-se em um curso de espanhol para negócios. Um professor particular nativo com experiência no assunto pode, inclusive, direcionar o aprendizado para questões relacionadas à exportação.

Na Espanhol Fluente, oferecemos esse tipo de curso. Trabalhamos de acordo com a necessidade do aluno, mostrando, até mesmo, as especificidades culturais do país com o qual ele está negociando.

Quer começar agora mesmo a se preparar para exportar seus produtos? Entre em contato comigo!

LEAVE A RESPONSE