Estrelas

Boca a boca e mídias sociais: as estratégias de Julia Soares, da Kalifa Cosméticos

Julia Soares tem apenas 22 anos. Porém a pouca idade não resume a proatividade e a ousadia da jovem paulistana, que há dois anos criou a Kalifa Cosméticos Artesanais – empresa em que vende produtos de tratamento para cabelos e unhas.

Técnica em Química e atualmente graduanda em Matemática, Júlia conta que produtos surgiram com a própria necessidade. “Comecei a fazer para mim mesma e publicava os resultados na internet. Assim as pessoas começaram a se interessar”, conta.

Ela então enxergou uma oportunidade de negócio e apostou na melhor forma de divulgação: o boca a boca no bairro onde mora, em Ermelino Matarazzo. “No começo foi um saco. Tive de lidar com vários questionamentos, que colocavam em dúvida meus conhecimentos técnicos e a composição dos produtos. Tive de fotografar a vitamina A que uso, para provar que era um produto de uso cosmético e não veterinário, que compõe os shampoos para cavalos. Também tinha gente que me perguntava se eu devolveria o dinheiro caso ela não gostasse do produto”, lembra a jovem empreendedora.

Tratamentos

A Kalifa Cosméticos Artesanais conta com três linhas de produtos: uma linha de crescimento para cabelos, outra de antiqueda e um fortificante para unhas, todas elas veganas. Julia calcula vender 60 kits por mês e impulsiona as vendas na região onde mora e nas redes sociais, em que se propõe a entregar os produtos nas estações de metrô.  Os cosméticos são produzidos em casa pela própria empreendedora, de acordo com todas as normas e especificações da Anvisa, e em quantidade que garanta o abastecimento da Kalifa durante três meses.

Um dos desafios que encontra para fazer seu negócio crescer é investir em revenda, pois apesar da pouca idade, ela já enfrentou problemas de gente grande. Em duas situações, parceiras se comprometeram com a venda do fortificante para unhas, mas na verdade tiravam o rótulo dos produtos e os vendiam como marca própria – crime classificado como estelionato e que está na Justiça. “Revenda dá muito certo, mas estou receosa. Cheguei a ter revendedoras em nove estados, mas dei uma parada. Agora estou pensando em investir em um modelo de assinatura e produzir também sabonetes”, conta Julia.

Ecofriendly

Outro ponto é a sustentabilidade das linhas. Além de tentar reduzir a quantidade de plástico na embalagem dos produtos e entregar os kits em embalagens de papelão, a empreendedora também oferece desconto aos clientes que devolvem as embalagens, que são entregues às cooperativas de reciclagem.

Não esperar nada de ninguém e nem as condições perfeitas para fazer um negócio acontecer são as dicas que Julia dirige às mulheres que, como ela, sonham em ter o próprio negócio. E por falar em sonho, o próximo objetivo da jovem é aumentar exponencialmente a demanda da Kalifa, de forma que ela não tenha mais tempo de não se dedicar a outras atividades. “Não precisa ser algo em escala industrial, mas artesanal. A Kalifa é o que eu mais gosto de fazer”, conclui a empreendedora que divide seu tempo entre a produção e divulgação dos produtos, um emprego em um escritório de Tecnologia de Informação e uma graduação a distância.

LEAVE A RESPONSE

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação e do empoderamento econômico.