De consultora a diretora: como prosperar com Mary Kay em apenas 10 meses?

20160118_12474220160118_124742

Apenas em 2013, o número de vendas de produtos da Mary Kay cresceu 70% em comparação ao ano anterior. Apesar de não divulgar os números de 2015, sabe-se que a empresa americana já soma mais de 430 mil consultoras. Porém, apenas 2% delas conquistaram o nível de diretora. E Priscila Nóbrega foi uma delas, título que a empreendedora ostenta com orgulho, já que este foi o resultado de um trabalho árduo e persistente junto às clientes e consultoras que formou.

Formada em Educação Física, Priscila trabalhava como massoterapeuta e tinha uma verdadeira carteira de clientes: pelo menos 35 pessoas eram atendidas por semana, pagando entre R$ 150 e R$ 180 por sessão. A empreendedora ainda se dedicava à dança do ventre, que lecionava para algumas alunas “mais por hobby do que por retorno”.

Porém, uma lesão na coluna, mais especificamente uma hérnia de disco na lombar, fez com que a já empreendedora ficasse três meses sem trabalhar e outros oito longe do mercado de trabalho. “Aí fui depender do marido, que é pior do que ter chefe. Tinha de pedir até dinheiro para fazer a unha e por isso eu chorava”, lembra.

Sem saber se voltaria ou não a andar, ainda nas sessões de fisioterapia ela analisava as possibilidades de novos trabalhos, Priscila então percebeu que gostava de maquiagem por causa da dança do ventre. “Procurei um instituto de beleza e lá conheci uma pessoa que vendia Mary Kay. Deparei-me com os benefícios e quando ouvi que seria minha própria chefe, logo percebi que era o negócio dos sonhos”, continua a empreendedora, que iniciou seu trabalho de consultoria em dezembro de 2014 e dias depois já estava demonstrando produtos para toda família.

20160118_113655

O trabalho de demonstração de produtos e persistência nas vendas foi tão intenso que, em apenas 10 meses, Priscila conquistou o nível de diretora da marca. Agora, o próximo passo é ganhar o famoso “carro rosa”. Para isso, ela aposta na proximidade com as consultoras, pois para galgar o plano de carreira da Mary Kay, a consultora deve conquistar mais que clientes e fãs da marca, mas outras consultoras. “Um dos meus segredos é que ensino as consultoras a ganhar dinheiro. Todos os meses temos diferentes produtos em promoção, em que é possível que a consultora lucre 100%. Então é este o investimento que elas têm de fazer: se esforçar para vender produtos em que ela lucra mais”, orienta.

Outra constatação essencial para o rápido desenvolvimento de Priscila foi o comportamento impulsivo das clientes. “Vendemos 70% mais quando temos pronta entrega, porque muita gente compra por impulso. Se o cliente gostou de um sapato e ele não está disponível na loja, o que ele faz? Vai comprar em outra loja”, exemplifica.

Priscila observa ainda que, além de determinação para vender e não desanimar frente às rejeições, a empreendedora que quer ser diretora da Mary Kay deve motivar constantemente suas iniciadas. “Busque o sonho das pessoas, fazendo um planejamento para aquela consultora e mostrando o quanto ela tem que ganhar por mês para torná-lo realidade. Temos de ter este cuidado, pois eu só cresço na empresa se ajudar as outras pessoas a crescerem também”, finaliza Priscila, que já soma 87 consultoras em sua equipe.

O case de Priscila fez parte da programação do 4º Evento do MEC, realizado na última segunda (18), em São Paulo. Para conferir a cobertura do evento, clique aqui.

Profile photo of Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.