Empreendedora especialista em saúde, Daniela de Oliveira agora almeja voos internacionais

Para Daniela de Oliveira, ter o próprio negócio nunca foi algo planejado. Pelo contrário. A carioca com 38 anos começou cedo, ainda aos 20, devido às condições de mercado. Depois de estagiar em três empresas, entre elas a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro e a Petrobrás, a então jovem de 17 anos conquistou uma vaga em uma grande empresa gestora de saúde e, em poucos meses, saltou do posto de estágio para a gerência. “Sempre tive visão de dona do negócio”, comenta.

Três anos depois, porém, a empresa fechou e ela aproveitou a expertise na área da saúde para trabalhar com consultorias e treinamentos. “As pessoas me procuravam para que eu desenvolvesse o mesmo trabalho que desenvolvia na gestora de saúde e levasse soluções para as empresas delas”, comenta.

Daniela conta também que “começou a empreender sem saber o que estava fazendo”, mas graças à mentoria de um amigo ela conseguiu consolidar o negócio – que mantém no mercado há quase 20 anos.  “Quando saí do mercado de trabalho estava grávida e não tinha expectativa de voltar a trabalhar tão cedo. Então, comecei a fazer trabalhos temporários e também a ministrar cursos em uma época em que os cursos geravam grande demanda. Destes cursos é que eu conquistava clientes para os projetos de consultoria”, revela.

Planejamento

Mais que ter um direcionamento inicial para construir o negócio, Daniela conta que o planejamento também foi outra pedra no seu sapato ao longo da trajetória empreendedora, especialmente nos primeiros anos de negócio. “Falhei muito no inicio, pois era casada e, por isso, não planejava nada”, confessa.

Agora divorciada, a empreendedora carioca conta que sua postura mudou. Ainda que tenha enfrentado dificuldade para encontrar pessoas dispostas a investir em cursos – consequência dos altos índices de desemprego no País -, ela hoje tem um trabalho de prospecção mais estratégico, que varia de acordo com o período do ano. “Meu negócio tem momentos de alta e baixa. Antes, minha preocupação era fechar um contrato para o período de baixa. Depois que me separei, trabalho mais com o intuito de fechar consultorias, pois o contrato varia de seis meses a um ano”, revela.

Ainda que a crise tenha impactado seus negócios, Daniela não desanima, pois sabe que crises são cíclicas e que todos os empreendedores devem estar preparados. Por isso, em vez de ver o copo meio vazio, ela ressalta os benefícios de ser dona da própria carreira, entre eles não ter rotina. “A dinâmica me atrai, assim como a flexibilidade. Posso escolher fazer viagens em baixa temporada.”

Planos internacionais

Formada em Administração com especialização em Recursos Humanos, Daniela continua atuando como consultora e almeja conquistar ainda mais projetos para implantar em outros países. Até o momento, ela foi contratada para desenvolver pessoas em Portugal, Angola e Moçambique. “Por ser especialista em saúde, tenho uma visibilidade maior. Meu site é todo voltado para a área da saúde. Os contatos vieram por meio do site, pois em Moçambique, por exemplo, contrata-se muito para desenvolver a mão de obra local.”

Além dos planos de fazer um mestrado no exterior, Daniela também está investindo na formação em psicanálise. “Como empreendedores não podemos trabalhar um produto só. É preciso criar outras coisas, que possam atender outras demandas em diferentes momentos. Meu sonho é ajudar pessoas. Amo fazer mesmo. Até treinamentos já fiz sem ser remunerada para ajudar outras pessoas”, conta a profissional que vai investir em uma clínica própria e também visa criar produtos digitais.

 

Facebook Comments
Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.