Kelly Castilho: de vendas na infância para a Confeitaria Filmes

Mãe, corredora, sagitariana e pessoa que abraça muitas coisas. É assim que a paulistana Kelly Cristina Castilho se descreve. ¨Curto muito ser mãe, ser companheira e estar junto de pessoas para compartilhar ideias”, acrescenta ela.

Publicitária, Kelly trabalhou como produtora em diversas empresas. Porém, ela ainda queria alcançar muitos voos. “Fazia site, reality, shows e projetos bem interessantes, além de filmes. Mas quanto tive filho, três anos e meio atrás, comecei a olhar outras possibilidades e queria focar a Confeitaria [Filmes, a própria produtora]”, lembra ela.

Veia empreendedora

Ainda que tivesse uma produtora para emitir nota fiscal e receber as renumerações, Kelly conta que nunca pensou em ter uma empresa apenas para tal finalidade. Afinal, a veia empreendedora a acompanhava desde a infância, período em que ela gostava de vender alguns produtos.

Porém, a jornada da empreendedora não é tão simples quanto costumava-se divulgar. “Em vários momentos tive dúvidas. Questionava se não era melhor ser CLT. Fora a pressão da família, que me perguntava por que eu não prestava concurso”, pontua.

Para superar estas arbitrariedades, Kelly teve de bater muito na porta de clientes e agências para conseguir contratos. E mesmo com trabalhos e projetos em andamento, ela conta que trabalha bastante com contratos freelancer, a fim de evitar ociosidade da equipe em períodos de hiato entre projetos.

Novos pontos de vista

Um dos principais focos da Confeitaria é trabalhar a diversidade. Por isso, ela aposta bastante no trabalho de meninas e também visa democratizar o acesso de produtos de áudio visual para pequenas empreendedoras. “Meu sonho é ter um filme bacana, bem reconhecido, bem representado por mulheres negras e que possa ajudar a empoderar as nossas mulheres”, conta Kelly, que atualmente aproveita o momento criativo para se dedicar à sétima arte.

 

Profile photo of Camila Silva

About Camila Silva

Jornalista especialista em contar histórias de superação. Feminista, sonha em criar um mundo mais igualitário e justo para as mulheres por meio da informação. Além do Voa, Maria, está à frente da Maria Comunica, agência de comunicação pautada por resultados e relacionamento.