Colunistas

Empresária, você se alimenta de emoções?

Hoje vamos falar de dois fatores fundamentais de nosso dia a dia que afetam de forma direta o modo como nos alimentamos. Estou falando da ansiedade e do estresse. Essas duas palavrinhas danadas que fazem com que qualquer pessoa se alimente de suas emoções. Nós, empresárias, lidamos com essas duas palavras 24h por dia e não nos damos conta de todo estrago que elas causam em nosso corpo e em nossa mente.

Você é ansiosa?

Veja bem, se a gente for procurar no dicionário o significado da palavra “Ansiedade”, teremos os seguintes significados:

Substantivo feminino

  1. grande mal-estar físico e psíquico; aflição, agonia.

“a demora no atendimento causava-lhe a.”

  1. figurado (sentido)figuradamente

desejo veemente e impaciente.

“com grande a. aguardava o seu casamento”

Agora me responda, é ou não é ansiosa? Acredito muito fortemente que sim, pois nossa rotina corrida e de intenso trabalho não nos deixaria “zen” ou sempre calma. Isso está longe de acontecer com quem empreende. E quando estamos sob o comendo dessa emoção, fazemos coisas que depois nos levam ao arrependimento. E uma dessas coisas é comer.

Comer, comer, comer

Um estudo científico apresentado no II Congresso Brasileiro de Ciências da Saúde (Conbracis) diz que um dos estados emocionais que mais exerce influência sobre o comportamento alimentar é a ansiedade, sendo a mesma conceituada como uma emoção negativa que deixa um sentimento constante de angústia e medo. O comportamento alimentar pode ser bastante afetado por tal emoção, tendo em vista que as escolhas alimentares, as quantidades ingeridas e a frequência das refeições dependem também de vários fatores de origem biopsicosocioculturais.

E como comer é um ato reconfortante e prazeroso, no momento em que estamos muito estressadas e ansiosas por conta de nosso trabalho, recorremos à fome emocional, ingerindo muitas vezes alimentos doces de forma contínua e exagerada, o que vai prejudicando e muito nossa produtividade por conta do peso que vai aumentando sem que nossa consciência tenha noção disso.

Eu sei que controlar a ansiedade não é uma tarefa simples. No entanto, precisamos refletir sobre isso e tentar entender como e quando isso acontece conosco. Atenção plena à nosso corpo é fundamental para termos saúde e buscarmos ajuda quando necessário.

E o que acontece com nosso corpo quando estamos ansiosas e estressadas que nos faz procurar alimentos e exagerar na ingestão fora de hora, o seja, no comer sem fome?

São tantas emoções

Nestes momentos, nosso cérebro geralmente busca uma recompensa para se aliviar do estresse e é claro que ele vai querer chocolate, biscoito e pão com manteiga – nunca brócolis! Parece até engraçado, mas isso é ciência. O que acontece é que nosso centro de recompensa é mais estimulado quando consumimos alimentos ricos em gordura e açúcar. Alimentos doces e gordurosos nos dão prazer imediato e nos fazem ficar mais calmas e felizes. No entanto, como a coisa acontece de forma rápida, no aqui e agora, simplesmente quando esse efeito acaba, nos culpamos e sentimos muita frustração e tristeza por termos feito algo por impulso.

O ideal para evitar essa ansiedade e preocupação em torno da sua alimentação é buscar fazer refeições de qualidade, com certa regularidade e com direito de satisfazer suas vontades. Estou me referindo às três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar), com direito a lanches intermediários se sentir fome, sempre priorizando alimentos de verdade, e diminuindo o consumo dos alimentos ultraprocessados (industrializados).

Parece simples demais, mas, na prática, exige um pouco de esforço abandonar antigos hábitos. Não se sinta mal se por um acaso falhar ou desanimar. Isso vai acontecer no início, mas eu posso te dizer que manter a calma é essencial para que consiga praticar as dicas que vou te dar agora. Veja só:

Quando você tiver se sentindo ansiosa, nervosa, estressada, primeira coisa é tentar se acalmar. Como? Fazendo um exercício de respiração. Pare o que estiver fazendo, desligue sons, feche seus olhos e respire fundo, inspirando pelo nariz e soltando pela boca por umas 10 vezes. Relaxe seus membros superiores e inferiores. Deixe seu corpo livre para respirar bem fundo. Essa primeira etapa é fundamental. Simplesmente comece assim.

Agora umas dicas muito legais:

#1. Tenha na bolsa sempre uma barrinha de chocolate 50% cacau. Ela será sua válvula de escape depois do exercício respiratório.

#2. Tenha uma rotina de atividades físicas. Ela é a primordial para quem empreende e normalmente se sente ansiosa.  Libera hormônios que acalmam.

#3. Em suas grandes refeições, prepare sua salada misturando as folhas com frutas bem docinhas. Isso vai fazer você ficar menos fissurada num docinho.

#4. Na hora da ansiedade e do estresse, mude seu foco. Ao invés de se levantar para pegar algo pra comer, tenha em mãos uma lista de coisas que você ama fazer e te dão muito prazer, sem ser comida. Escolha uma dessas coisas e foque nisso. Em pouco tempo perceberá que seu foco na comida diminuiu ou, até mesmo, sumiu.

#5. E a minha última dica é ter um planejamento de rotina bem estruturado para que não se sinta insegura e perdida. Essa possibilidade nos deixa ansiosa e estressada. Quando sabemos o que temos que fazer e o que temos que comer, nos sentimos mais donas da situação e a segurança quebra todo estresse e ansiedade que por ventura queiram florescer.

Marias, vamos voar sim, mas preparadas para tudo!

Beijinhos!

Nutri Alessandra Gusmão – CRN4 16101219.

LEAVE A RESPONSE